Rubem Fonseca

Renato Doho
2 min readApr 15, 2020

11/05/1925 — 15/04/2020

Meu autor favorito, na foto acima os livros dele que tenho. Li muito do começo da carreira dele nas bibliotecas. Foi o autor que me fez apreciar a literatura nacional desfazendo aquele trauma típico da literatura brasileira que muitos adquirem na escola com a leitura dos clássicos. Além de gostar muito do que ele escrevia havia a feliz coincidência dele ter nascido no mesmo dia e mês que eu, o que de certa forma nos aproximava no que achava que era seu jeito de ser e pensar (e suas raríssimas entrevistas faziam crescer o mistério em torno de sua vida pessoal). Ano passado li em sequência 5 dos últimos livros dele depois de muito tempo sem lê-lo. Foi uma forma tanto de voltar a lê-lo quanto dar um impulso geral à leitura e nada como Rubem Fonseca para nos fazer amar novamente a literatura.

Longa vida aos livros e à arte do mestre Zé Fonseca!

BIBLIOGRAFIA

1963: Os Prisioneiros.

1965: A Coleira Do Cão.

1969: Lúcia McCartney.

1973: O Homem De Fevereiro Ou Março/ seleção.

1973: O Caso Morel.

1975: Feliz Ano Novo.

1979: O Cobrador.

1983: A Grande Arte.

1985: Bufo & Spallanzani.

1988: Vastas Emoções E Pensamentos Imperfeitos.

1990: Agosto.

1992: Romance Negro E Outras Histórias.

1994: O Selvagem Da Ópera.

1994: Contos Reunidos.

1995: O Buraco Na Parede.

1997: Histórias De Amor.

1997: E No Meio Do Mundo Prostituto Só Amores Guardei Ao Meu Charuto.

1999: A Confraria Dos Espadas.

2000: O Doente Molière.

2001: Secreções, Excreções E Desatinos.

2002: Pequenas Criaturas.

2003: Diário De Um Fescenino.

2005: Mandrake — A Bíblia E A Bengala.

2006: Ela E Outras Mulheres.

2007: O Romance Morreu.

2009: O Seminarista.

2011: Axilas E Outras Histórias Indecorosas.

2011: José.

2013: Amálgama.

2015: Histórias Curtas.

2017: Calibre 22.

2018: Carne Crua.

Faltam ler 4 livros para completar sua obra, são 4 romances (em negrito).

--

--